Curso para Administradores das APACs

Realizado no Centro de Reintegração Social da APAC de Itaúna, nos dias 30 e 31 de maio e 1º de junho, o Curso para Administradores das APACs contou com a presença de 46 participantes, membros da diretoria executiva e líderes emergentes, das APACs de Alfenas, Campo Belo, Caratinga, Conselheiro Lafaiete, Frutal, Governador Valadares, Inhapim, Itaúna, Ituiutaba, Januária, Lagoa da Prata, Manhuaçu, Minas Novas, Nova Lima, Paracatu, Patrocínio, Pedra Azul, Perdões, Pirapora, Pouso Alegre, Rio Piracicaba, Santa Bárbara, Santa Luzia, Santa Maria do Suaçuí e São João del Rei, em Minas Gerais, de São Luis, no Maranhão, e Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo.


A abertura do evento ficou a cargo do gerente de metodologia e do diretor executivo da FBAC, Roberto Donizetti e Valdeci Ferreira, da presidente da APAC de Itaúna, Lidia Vilela, e do presidente do Conselho Deliberativo da FBAC, Dr. Tomáz de Aquino Resende, que falou sobre a importância da unidade das APACs e da aplicação correta da metodologia. Representando o Instituto Minas Pela Paz, Enéas Melo falou sobre a atuação do IMPP, mais especificamente sobre o Programa Regresso. Após a visita a todas as dependências da APAC de Itaúna, foi a vez do voluntário Adilson Souza ministrar a palestra Gestão de Pessoas aos cursistas.


O segundo dia de curso foi direcionado aos temas Aspectos Práticos dos 12 Elementos Fundamentais do Método APAC (Participação da Comunidade, O Recuperando Ajudando o Recuperando, Trabalho, A Espiritualidade e a Importância de se Fazer a Experiência de Deus, Assistência Jurídica, Assistência à Saúde, O Voluntário e o Curso para a sua Formação, CRS - Centro de Reintegração Social, Mérito, e Jornada de Libertação com Cristo), ministrado pela equipe da FBAC, e Administração de Convênios, Prestação de Contas e Transparência, com a colaboração das servidoras da Diretoria de Contratos e Convênios da Secretaria de Estado de Defesa Social, Julita Ferreira e Camila de Oliveira, e da inspetora de metodologia da FBAC, Tatiana Faria.


Último dia de curso: orientações diversas da FBAC, tais como segurança e disciplina, padronização, comunicação, etc. O juiz da Vara de Execução Penal e vice-presidente do Conselho Deliberativo da FBAC, Dr. Paulo Antônio de Carvalho falou sobre o tema Ética na Administração.


Eventos desse porte são de fundamental importância para as APACs, no sentido de qualificar, dar suporte e motivar os administradores, além da integração e troca de experiências dos mesmos, para uma gestão mais profissional, transparente e coesa, para que ao final se chegue ao objetivo comum, que é a recuperação dos nossos irmãos presos.


O Curso para Administradores das APACs foi uma realização conjunta da Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados e do Programa Novos Rumos do Tribunal de Justiça de Minas Gerais.

Secretário assina convênio para instalação de mais uma APAC no Maranhão

O secretário de Estado da Justiça e da Administração Penitenciária do Estado do Maranhão, Sebastião Uchoa, assinou em seu gabinete, na manhã desta segunda-feira (26), o convênio de implantação da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) no município de Timon. As ações serão direcionadas aos internos da Unidade Prisional de Ressocialização Jorge Viera, situado naquele município. No Maranhão, unidades de Coroatá, Pedreiras e São Luis já realizam o trabalho com o método.


A partir do convênio, caberá à APAC atuar na unidade mantendo assistência à saúde, odontológica e serviço social, além de ofertar cursos de capacitação profissional para 310 presos do Sistema e gerenciar e fiscalizar, em parceria com o Poder Judiciário, 40 internos do trabalho externo prestando ainda assistência aos familiares. Atualmente, 10 recuperando trabalham na empresa de limpeza pública que presta serviços para a Prefeitura Municipal. A iniciativa é uma das medidas voltadas para a reinserção social dos internos.

DSC 8131-e1401195364627

A APAC de Timon recebe a quantia de R$ 350 mil que serão entregues em duas parcelas e deverão ser empregados, exclusivamente, para atender às demandas da APAC e custear os gastos com o trabalho desenvolvido pela associação.


O secretário Sebastião Uchoa ressaltou a importância da institucionalização da APAC em mais uma cidade. "É um grande avanço para o Governo do Estado. Uma promessa que tem como meta fomentar esse projeto em todas as unidades. Ainda neste primeiro semestre, serão firmados, pelo menos, mais dois convênios, em Viana e Imperatriz. O próximo passo da nossa equipe técnica é fazer a observação e analise para implementação das políticas do Método APAC na humanização do sistema carcerário", declarou o secretário de Justiça e da Administração Penitenciária.


Com o convênio caberá à SEJAP repassar à APAC os recursos financeiros e o plano de trabalho, bem como de acompanhar e supervisionar a execução do plano.


Durante a assinatura, o presidente da APAC de Timon, José Augusto Rego, lembrou que os internos para ingressar no Método APAC, passam por uma rigorosa seleção. "Além do interesse espontâneo em ingressar na entidade, nós levamos em consideração um parecer técnico emitido por psicólogos, assistentes sociais e da direção da unidade. Trata-se de um método com resultados bastante satisfatórios e em que a reincidência criminal é quase zero".


Além do convênio firmado com a SEJAP, a APAC de Timon recebeu da Prefeitura Municipal um terreno com área total de 15.840 m2 para a construção de um Centro de Reintegração Social onde funcionará a sede da APAC de Timon.


Na próxima quarta-feira (28), ocorrerá a assinatura do convênio para implantação da APAC em Viana.

Fonte: sejap.ma.gov.br

Método APAC é apresentado a alunos de Centro Universitário em Porto Alegre

UniritterA Comissão de Cidadania e Direitos Humanos (CCDH) da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Jeferson Fernandes (PT), promoveu, na segunda-feira (19), o seminário sobre o Método APAC de Execução Penal, para os alunos do Centro Universitário Ritter dos Reis/UniRitter, campus Porto Alegre. A atividade reuniu professores, alunos e representantes do Legislativo, Judiciário e da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC).

O seminário foi aberto pelo presidente da CCDH, deputado Jeferson, que contextualizou sobre o Método APAC de ressocialização de apenados, aplicado há mais de 40 anos, em Minas Gerais e sobre o funcionamento das casas prisionais regidas pela metodologia. Segundo o parlamentar, o principal diferencial das APAC's é o tratamento mais humanizado aos presos que, nos locais, são chamados de recuperandos. "Para entrar em uma APAC, a pessoa já tem de ter sido condenada, independente do crime e tempo de pena, além de realmente concordar com a disciplina e regras das casas. Lá eles precisam manter a higiene pessoal e do ambiente coletivo, estudar, trabalhar e participar de atividades em grupo", explica Jeferson.

O promotor de Justiça, Gilmar Bortolotto, realizou uma exposição sobre a situação carcerária no RS. Ele apresentou fotos dos presídios, números e relatou sobre o trabalho que realiza nas penitenciárias. Para Bortolotto, é preciso repensar o sistema prisional como um todo, para que as pessoas que cumprem pena privativa de liberdade possam ter a oportunidade de se ressocializarem e, assim, não voltarem a cometer crimes.

O ex-detento e hoje presidente da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados de Canoas (primeira APAC gaúcha), Ênio Andrade fez um relato emocionante, desde os primeiros delitos, a vida no cárcere, até o momento em que conquistou a liberdade. Segundo Ênio, o sitema carcerário convencional não recupera os apenados. "É preciso pensar formas para que o preso não fique na ociosidade, que tenha oportunidade de estudar e aprender uma profissão. O que acontece hoje é que as penitenciárias são escolas do crime", afirma. Para ele, o Método é uma ótima alternativa para que os apenados tenham uma outra perspectiva após o cumprimento de suas penas. "O tratamento mais humanizado, com uma estrutura adequada e o apoio da família é o que faz a diferença na APAC. Não se quer com isso que sejam abrandadas as penas, o que se almeja é que o sujeito após cumprir seu tempo, retorne à sociedade e não volte a cometer delitos". Após as explanações, foi aberto um período para perguntas e questionamentos.

Fonte: direitos-humanos-alrs.blogspot.com.br

Presidente da Amagis destaca o trabalho das APACs em Congresso sobre Segurança Pública

O presidente da Amagis, desembargador Herbert Carneiro, participou, na tarde desta sexta-feira, 23, de uma mesa redonda durante o "Congresso Brasileiro de Segurança Pública e Violência Urbana", evento da Semana Jurídica do Curso de Direito da Universidade Fumec, em promoção conjunta com a Ordem dos Advogados do Brasil, seção Minas Gerais (OAB-MG).

Herbert Carneiro debateu com o presidente da Comissão de Assuntos Penitenciários da OAB/MG, Adilson Rocha, o tema do "Sistema Penitenciário e Execução Penal; estruturas de reinserção social nos trinta anos da vigência da Lei de Execução Penal Brasileira", quando disse que o atual sistema penitenciário passa por enormes dificuldades e não tem cumprido integralmente o seu papel legal de ressocialização e reinserção do condenado na sociedade.

O magistrado defendeu maior investimento, pelo Governo Federal, na aplicação de penas alternativas para seu efetivo funcionamento, fiscalização e manutenção, e destacou a bem-sucedida experiência das Associações de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC), cuja expansão é recomendada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) como forma de redução da reincidência criminal no país.

Ainda segundo o presidente da Amagis, de modo geral, a realidade do paciente judiciário é crítica, pois amparado por uma legislação retrógrada e equivocadamente assentada em um conceito generalizado de periculosidade, que não leva em conta a dignidade e a saúde individual do cidadão. No entanto, há alguns projetos pioneiros, como em Minas, através do Programa de Atenção Integral ao Paciente Judiciário Portador de Sofrimento Mental (PAI-PJ), que oferece boa alternativa para aplicação da medida de segurança.

Fonte: www.amagis.com.br

Inauguração da APAC de Rio Piracicaba

A Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) da Comarca de Rio Piracicaba inagura o seu Centro de Reintegração Social no dia 28 de maio de 2014. A solenidade tem início às 10h, na rua Sebastião Maria da Silva, 141, bairro Córrego São Miguel, em Rio Piracicaba.

Other news

An angel interceding for us

23-02-2016

Valdeci I remember kindly our dear Glory. His unconditional love and his passion for the...

Read more

Outpatient care implementation in APAC of Caratinga

12-01-2016

Dr. Igor de Oliveira, respected doctor in our city of Caratinga for his humanitarian attitudes...

Read more

FBAC realises on-line meeting with Presidents of APACs

01-09-2015

It was realised in the night of this Monday (31/08/2015) the first meeting online between...

Read more

Partners

  • assmg.jpg
  • avsi.jpg
  • avsibrasil.jpg
  • FIAT.jpg
  • governoMA.jpg
  • governomg.jpg
  • melt.jpg
  • MinaspelaPaz.jpg
  • mpmg.jpg
  • Novos rumos.jpg
  • projetec.jpg
  • seapmg.jpg
  • senac.jpg
  • sociedadebiblicadobrasil.JPG
  • tioflavio.jpg
  • tjma.jpg
  • UE.jpg