APAC Feminina de Frutal recebe novas recuperandas

A Associação de Proteção e Assistência aos Condenados – APAC recebeu no início da tarde desta terça-feira (19), mais 15 presas vindas da região. Coincidentemente, também no dia 19, só que de dezembro de 2018, já havia chegado outras 18 presas. Com isso, o CRS feminino com capacidade para 130 recuperandas passou a abrigar atualmente 33.

A gerente administrativa das APACs Frutal, Paula Queiroz Vieira, adianta que já está em contato com outros presídios regionais para que mais recuperandas possam ocupar as vagas ainda disponíveis. Segundo ela, essa medida faz parte de uma exigência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais que ao disponibilizar recursos para a construção do CRS Feminino exigiu que todas as vagas fossem preenchidas. “É notória a emoção com que elas chegam à instituição e abraçam essa oportunidade de cumprirem a pena de forma humanizada”, observou.

Ainda segundo Paula, a APAC não impõe e sim, propõe. Portanto, para que a recuperanda tenha a opção de escolha de vir ou não para a Associação ela precisa conhecer a metodologia, o que foi feito em visita que a gerente fez ao presídio de Uberaba. “Elas precisam tomar uma decisão consciente sobre o que é o método Apaqueano e terem a liberdade de escolha”. Inicialmente, estão sendo trazidas presas que fazem parte da Comarca e grande parte delas se encontra hoje em presídios de Uberaba, Araxá e Patrocínio.

Paula informa ainda que, com o treinamento já das primeiras recuperandas sobre o funcionamento do método, o processo de transferência das demais presas para Frutal vai acontecer de forma mais rápida. Sobre a disciplina que é regra básica do método apaqueano, a gerente destaca que o grande diferencial está no fato de que a mesma é aplicada com amor, que as regras existem, mas que a APAC está para contribuir de alguma forma para o soerguimento, para o retorno da recuperanda à sociedade. Que acima de tudo, a APAC é uma instituição que oferece oportunidade de se libertar e quando isso ocorre, a pessoa se torna um ser humano melhor.

(Zilma de Oliveira – Assessora de Imprensa APAC Frutal)


Apac será adotada como política pública no país

Reunião em Brasilia mostra que experiência mineira é referência nacional

 

O Departamento Penitenciário Nacional (Depen) irá adotar a metodologia Apac como uma de suas políticas públicas para o sistema prisional. Essa boa notícia foi anunciada pelo juiz auxiliar da Presidência do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Luiz Carlos Rezende e Santos, ao presidente do TJMG, desembargador Nelson Missias de Morais, e várias autoridades que integram um Grupo de Trabalho de Prevenção a Crises. O grupo se reuniu nas dependências do Edifício Sede nesta quinta-feira, 7 de fevereiro.

O juiz Luiz Carlos Rezende e Santos esteve em Brasília e comentou que, em encontro com diretores do Depen, definiu-se que a metodologia Apac será priorizada entre as iniciativas voltadas para a Justiça Criminal. “A reunião foi muito boa. Anunciaram que irão investir fortemente com recursos para construção de centros de reintegração social de Apacs, e partirão dos Estados que já estão devidamente estruturados, sobretudo junto aos Poderes instituídos, e com a certeza de convênios de manutenção das unidades”, disse o juiz.

Luiz Carlos Rezende e Santos destacou que essa foi a primeira vez que o Depen acenou de forma objetiva quanto ao trabalho das Apacs, sobretudo levando-se em contra os resultados já obtidos no Estado de Minas Gerais. “Estamos honrados em participar dessa construção nacional”, mencionou.

Para Fabiano Bordignon, diretor-geral do Depen, é necessário investir, fomentar políticas públicas e promover amplos debates voltados para aprimorar e ampliar o funcionamento das Associações de Proteção e Assistência aos Condenados (Apacs) no Brasil.

 

O presidente Nelson Missias de Morais comemorou a boa notícia e ressaltou a necessidade do envolvimento da sociedade na realização de audiências públicas, com o objetivo de divulgar os benefícios da metodologia apaqueana.

O magistrado comentou que os ganhos para o Estado não se resumem a financeiros, já que o custo de um recuperando gira em torno de R$ 1 mil, enquanto que no sistema comum chega a quase R$ 3 mil. Minimiza o quadro atual do número de vagas no sistema penitenciário, já que o número de reincidência é pequeno, disse.

As Apacs são pessoas jurídicas de direito privado que administram os Centros de Reintegração Social (CRS) de recuperandos. Por meio do programa Novos Rumos, Minas Gerais conta, atualmente, com 39 Apacs em funcionamento, entre unidades masculinas e femininas.

A Apac de Itaúna é pioneira na aplicação do método em Minas. No início de janeiro, dia 10, o governador Romeu Zema visitou a unidade e assumiu no local o compromisso de duplicar, até o final de seu governo, o número de vagas para recuperandos nas Apacs do Estado. Esse número é de aproximadamente quatro mil pessoas.

Presenças

Estavam presentes na reunião de hoje a desembargadora Márcia Maria Milanez, coordenadora-geral do Programa Novos Rumos; o desembargador Júlio Cezar Guttierrez, supervisor do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF) do Programa Novos Rumos; o secretário de Estado de Segurança Pública, general Mário Lúcio Alves de Araújo; o promotor Henrique Macedo, Coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal, Tribunal do Júri, Execução Penal e Auditoria Militar (Caocrim); o secretário adjunto de Estado de Justiça e Segurança Pública, Gustavo Tostes; o secretário adjunto de Estado da Fazenda, Luiz Cláudio Gomes; o subsecretário de Estado da Segurança Prisional, Rodrigo Machado; o coordenador criminal da Defensoria Pública, Fernando Camargo, e a assessora da Defensoria Pública, Emília Castilho.

 

Fonte: TJMG

 

 

Encontro Nacional das APAC’s é realizado e sua Política de Atenção é fortalecida

Brasília, 06/02/2019 - Está acontecendo, na Sede do Departamento Penitenciário Nacional - Depen, a primeira reunião deste ano para tratar da Política de Atenção do Depen às Associações de Proteção e Assistência aos Condenados – APAC’s. O encontro, que iniciou nessa terça (5), reuniu representantes como: promotores, juízes, procuradores e demais estudiosos desta pauta.

As APAC’s surgiram em 1972 e visa à recuperação e à reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade. Ela ainda opera como entidade auxiliar do poder Judiciário e Executivo, respectivamente, na execução penal e na administração do cumprimento das penas privativas de liberdade.

A ocasião, promovida pelo Depen, viabilizou que os representantes das APAC’S realizassem o debate voltado à Política de Atenção dessas APAC’s, bem como na elaboração de um plano de ação para uma eficaz atuação.

Para Fabiano Bordignon, diretor-geral do Depen, o fortalecimento dessa política é fundamental. “O Depen tem como objetivo investir, fomentar políticas públicas e promover amplos debates com seus representantes visando auxiliar no funcionamento das APAC’s no Brasil”. Inclusive, no âmbito do Depen, foi criada uma coordenação para tratar das Políticas de Participação Social e de Atenção ao Egresso,  frisa o diretor-geral.

 

É importante destacar que o objetivo da APAC é promover a humanização das prisões, sem perder de vista a finalidade punitiva da pena. Seu propósito é evitar a reincidência no crime e oferecer alternativas para a reinserção social do condenado.

Fonte: DEPEN

Brasília, 06/02/2019 - Está acontecendo, na Sede do Departamento Penitenciário Nacional - Depen, a primeira reunião deste ano para tratar da Política de Atenção do Depen às Associações de Proteção e Assistência aos Condenados – APAC’s. O encontro, que iniciou nessa terça (5), reuniu representantes como: promotores, juízes, procuradores e demais estudiosos desta pauta.

As APAC’s surgiram em 1972 e visa à recuperação e à reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade. Ela ainda opera como entidade auxiliar do poder Judiciário e Executivo, respectivamente, na execução penal e na administração do cumprimento das penas privativas de liberdade.

A ocasião, promovida pelo Depen, viabilizou que os representantes das APAC’S realizassem o debate voltado à Política de Atenção dessas APAC’s, bem como na elaboração de um plano de ação para uma eficaz atuação.

Para Fabiano Bordignon, diretor-geral do Depen, o fortalecimento dessa política é fundamental. “O Depen tem como objetivo investir, fomentar políticas públicas e promover amplos debates com seus representantes visando auxiliar no funcionamento das APAC’s no Brasil”. Inclusive, no âmbito do Depen, foi criada uma coordenação para tratar das Políticas de Participação Social e de Atenção ao Egresso,  frisa o diretor-geral.

É importante destacar que o objetivo da APAC é promover a humanização das prisões, sem perder de vista a finalidade punitiva da pena. Seu propósito é evitar a reincidência no crime e oferecer alternativas para a reinserção social do condenado.

Serviço de Comunicação Social do Depen

 
 
 

Recuperandos da APAC Arcos receberam Certificado de Agradecimento

No dia 06 de fevereiro de 2019, os recuperandos da APAC Arcos receberam Certificado de Agradecimento, pelos trabalhos voluntários prestados no Projeto “S.O.S Yolanda”, que visa reformar a Escola Estadual Yolanda Jovino Vaz, que é  patrimônio histórico da cidade.

A primeira etapa concluiu a reforma das salas de aulas e pátio interno. Para dar prosseguimento à reforma será necessário mais uma vez o apoio de toda a comunidade que abraçou o projeto desde o início.

Nossos agradecimentos a direção da escola na pessoa do Diretor Hélio e vice Jackeline, ao vereador e amigo Donizetti Bernardes, a juíza da Vara de Execuções Dra. Karen Cristina Lavoura Lima e ao Promotor de Justiça Dr. Eduardo Fantinati Menezes. Agradecemos a confiança em nós depositada. Estamos Juntos!!!
“Todo homem é maior que o seu erro”.

FBAC planta árvore em homenagem a Dr. Mário Ottoboni

No início de fevereiro, funcionários e voluntários da FBAC reuniram-se para planejar as atividades de 2019. Por ocasião da reunião administrativa foi plantada uma muda de Pau-Brasil em homenagem a Dr. Mário Ottoboni, que deu sua vida pela obra das APACs. Dr. Mário estava muito contente com a construção da sede da FBAC e esta é uma forma singela para manter um elo com o precursor das APACs e manter viva a sua memória.

Valdeci Antônio Ferreira, Diretor Executivo da FBAC, disse: "Queremos com este gesto, agradecer Dr. Mário Ottoboni por toda sua vida doada ao serviço dos condenados. Assim como esta árvore irá crescer e ganhar o céu, prometemos a Dr. Mário que nunca iremos abandonar sua obra de amor. Logo iremos construir o Memorial Mário Ottoboni, que será um pequeno espaço para manter viva sua memória em nosso meio. Obrigado Pai pela vida de Dr. Mário. Obrigado Dr. Mário por sua doação integral à serviço das APACs. Estamos juntos!"

Other news

An angel interceding for us

23-02-2016

Valdeci I remember kindly our dear Glory. His unconditional love and his passion for the...

Read more

Outpatient care implementation in APAC of Caratinga

12-01-2016

Dr. Igor de Oliveira, respected doctor in our city of Caratinga for his humanitarian attitudes...

Read more

FBAC realises on-line meeting with Presidents of APACs

01-09-2015

It was realised in the night of this Monday (31/08/2015) the first meeting online between...

Read more

Partners

  • assmg.jpg
  • avsi.jpg
  • avsibrasil.jpg
  • FIAT.jpg
  • governoMA.jpg
  • governomg.jpg
  • melt.jpg
  • MinaspelaPaz.jpg
  • mpmg.jpg
  • Novos rumos.jpg
  • projetec.jpg
  • seapmg.jpg
  • senac.jpg
  • sociedadebiblicadobrasil.JPG
  • tioflavio.jpg
  • tjma.jpg
  • UE.jpg