SEDE ADMINISTRATIVA DA FBAC, CIEMA E MEMORIAL MÁRIO OTTOBONI SÃO INAUGURADOS

Com a presença de diversos parceiros e representantes das APACs, no dia 11 de setembro, a Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados inaugurou sua sede administrativa, o Centro Internacional de Estudos do Método APAC (CIEMA) e o Memorial Mário Ottoboni, localizados à Rua João Nogueira Santos, 346, Bairro Nogueirinha, Itaúna/MG.

Para Valdeci Antônio Ferreira, Diretor Geral da FBAC: “a inauguração deste espaço representa um divisor de águas na história da FBAC, pois permitirá acolher melhor todas as pessoas envolvidas no movimento das APACs, além de proporcionar um espaço adequado, de profissionalização, formação e fomento das APACs, não somente no Brasil, mas em todo o mundo.”

Diversas autoridades estiveram presentes: juízes, defensores públicos, promotores, deputados, vereadores, secretários municipais, presidentes das APACs, bispos, sacerdotes e pastores. Entre elas cita-se: Dr. Luiz Carlos Rezende e Santos, juiz auxiliar da presidência do TJMG e coordenador do Programa Novos Rumos, representando o presidente do Tribunal de Justiça de MG, Dr. Nelson Missias de Morais, Des. Tomaz Aquino Resende, advogado e presidente do Conselho de Administração da FBAC; Dr. Adelmo Bragança de Queiroz, juiz da 1a Vara Criminal, do Júri de Execuções Penas de Itaúna; Dr. Rodrigo Machado de Andrade, representando o Governador do Estado, Romeu Zema e o Secretário de Estado de Segurança Pública, General Mário Lúcio Alves de Araújo; Dr. Henrique Nogueira Macedo, Promotor de Justiça e coordenador do CAOCRIM, representando o Procurador Geral do Estado, Dr. Antônio Sérgio Tonet; Dr. Wilson Hallak Rocha, representando o Defensor Público Geral do Estado, Dr. Gério Patrocínio Soares; Maurílio Pedrosa, coordenador da Fundação Minas pela Paz; Jacopo Sabatiello, gerente da AVSI Brasil, Neider Moreira de Faria, prefeito Municipal de Itaúna/MG; Dorestela Medina, coordenadora regional da América Latina da Prison Fellowship International;

Valdeci acolheu a todos dizendo: “Sejam todos muito bem vindos! Esta é a casa das APACs.”

A cerimônia iniciou com a apresentação do Coral “Estamos Juntos”, da APAC de Itaúna. A seguir Dom José Carlos de Souza Campos, Bispo da Diocese de Divinópolis, juntamente com Pastor Natanael Silveira de Souza, presidente da APAC de Frutal, conduziram o momento de oração e ação de graças a Deus.

Dr. Tomaz de Aquino disse: “A FBAC tem hoje sua casa, sua sede, o Centro Internacional de Estudos do Método APAC. Hoje nós começamos a caminhada. Começamos bem. Temos hoje este sentimento de que as pessoas podem cometer crimes, mas também podem perdoar. É isso que nos guia. Continuo voluntário da APAC até a morte.”

“Estamos reunidos no amor de Deus. A Prison Fellowship agradece Dr. Mário Ottoboni por seu empenho para acolher e recuperar o ser humano privado de liberdade. A PFI acredita nesta obra de Deus a serviço da vida e reafirma sua parceria com a FBAC e as APACs.” Disse Dorestela Medina.

Para Dr. Luiz Carlos, “o que houve foi uma grande união de esforços. Quando houve aporte de recursos do TJMG, que contribuíram para a construção da sede da FBAC, foram recursos provenientes de penas pecuniárias, ou seja, dinheiro gerado pela própria delinquência. Estes recursos foram otimizados no instituto de combater o crime. Sabemos que este combate ao crime acontece através das APACs. A APAC nos ensina que é possível recuperar aplicando não a repressão, mas o amor. Quero registrar a felicidade de presenciar a realização do sonho de Valdeci e Dr. Mário tornando-se realidade: ter a sede da FBAC e a escola do Método.”

Sr. Ubirajara, uns dos primeiros recuperandos, da APAC mãe de São José dos Campos/SP, que atualmente reside em Itaúna e é funcionário da FBAC, fez um emocionante pronunciamento: “Eu fui resgatado na prisão. Através da acolhida de Dr. Mário Ottoboni e dos membros da APAC, me senti amado e decidi mudar de vida. Dr. Mário confiou em mim, me ajudou. Meu primeiro filho tem o nome de Mário. Para mim o Memorial é um tabernáculo. Temos que pisar ai com respeito. Sinto ai a presença dele neste lugar. Tenho certeza que Deus abriu a porta dos céus para Dr. Mário. E ele está aqui conosco, nos ajudando a todos.”

Segundo Valdeci, “Com a cessão do terreno pela Prefeitura Municipal de Itaúna, e com recursos advindos dos parceiros, amigos e colaboradores, foi construída a sede administrativa da FBAC, com espaços necessários para o cumprimento das finalidades e metas propostas pela Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados.

Ao lado da sede administrativa da FBAC foi idealizado e construído o CIEMA - Centro Internacional de Estudos do Método APAC, objetivando contribuir para a consolidação das APACs já existentes e a multiplicação da metodologia no Brasil e no mundo, por meio da realização de treinamentos e cursos através da plataforma CIEMA VIRTUAL, além de oferecer apoio logístico aos estudiosos da matéria. E como justa homenagem, o CIEMA irá receber o nome daquele que por vários anos foi o coordenador do Programa Novos Rumos do TJMG, considerado o Apóstolo Paulo das APACs no Estado de Minas Gerais, o excelentíssimo desembargador Joaquim Alves de Andrade.

Construímos também o Memorial Mário Ottoboni. Neste memorial a FBAC, as APACs, recuperandos, voluntários, funcionários, parceiros, amigos e colaboradores, prestam esta homenagem ao querido Dr. Mário Ottoboni, fundador da APAC e idealizador de seu Método.

O Memorial é um espaço onde iremos manter viva a memória de Dr. Mário Ottoboni. É um espaço para a preservação de seus objetos, livros e manuscritos, além de peças da antiga APAC de São josé dos Campos.

Dr. Mário nasceu em 11 de setembro de 1931 e faleceu em 14 de janeiro de 2019. No entanto, não existe partida para aqueles que estarão sempre em nossos corações. Em cada pessoa recuperada nas APACs, sempre teremos a certeza de que Dr. Mário vive, e aquilo que ensinou continua ecoando em nossos corações.”

A FBAC

A FBAC é uma Associação Civil de Direito Privado sem fins lucrativos que tem a missão de congregar a manter a unidade de propósitos das suas filiadas e assessorar as APACs do exterior.

Mantém ainda a tarefa de orientar, zelar e fiscalizar a correta aplicação da metodologia e ministrar cursos e treinamentos para funcionários, voluntários, recuperandos e autoridades de modo a consolidar as APACs existências e contribuir para a expansão e multiplicação de novas APACs.

A visão da FBAC é humanizar o cumprimento das penas privativas de liberdade, oferecendo ao condenado condições de recuperar-se e, ainda, protejer a sociedade, socorrer as vítimas e promover a Justiça restaurativa.

A missão da FBAc é congregar as APACs do Brasil e assessorar as APACs do exterior, mantendo a unidade de propósitos das Associações, e orientar, assistir, fiscalizar e zelar pelo fiel cumprimento da metodologia APAC.

A meta da FBACc é consolidar as APACs existentes e desenvolver estratégias para implantaçao do Método APAC em todas as comarcas do Brasil.

A FBAC é filiada à Prison Fellowship International - PFI, organização consultora da ONU para assuntos penitenciários, com sede em Washington - USA.

 

A APAC

A APAC, Associação de Proteção e Assistência aos Condenados, é uma entidade civil de direito privado, com personalidade jurídica própria, dedicada à recuperação e à reintegração social de condenados a penas privativas de liberdade. Nascida em 18 de novembro de 1972, em São José dos Campos (SP), a APAC, assim como a FBAC, também foi idealizada pelo Dr. Mário Ottoboni e um grupo de amigos cristãos, com o objetivo de amenizar as aflições vividas pela população prisional, familiares e a comunidade local.

Atualmente existem 130 APACs filiadas à FBAC, em vários Estados Brasileiros. No Brasil já existem 41 APACs que administram o Centro de Reintegração Social (CRS) sem polícia e as demais APACs estão em diferentes estágios de implantação. A APAC está presente também em dezenas de outros países como Alemanha, Itália, Latívia, Portugal, Chile, Equador, México, Rússia, Austrália, entre outros.

 

Clique aqui para ver as fotografias

Governo do RN assina convênio com APAC

O Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap/RN), assinou um termo de fomento com a Associação de Proteção e Assistências aos Condenados de Macau (APAC/Macau), nesta segunda-feira (2). Com apoio do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), o documento prevê a implantação de uma parceria entre as entidades na recuperação e assistência de internos do sistema prisional.

Com o termo, a APAC/Macau poderá atender 34 sentenciados pela Justiça, sendo 20 do regime fechado e 14 do semiaberto, no Centro de Reintegração Social (CRS/Macau). Será ofertado ao assistido a valorização e recuperação da dignidade humana.

A vigência do convênio será de 12 meses, podendo ser prorrogado se for de interesse das partes envolvidas, ao custo de R$ 292.980,80, repassados pela Seap mensalmente. Compete a Secretaria, por meio do Departamento de Promoção à Cidadania (DPC), a supervisão, fiscalização e acompanhamento da execução do convênio e dos recursos.

A governadora Fátima Bezerra explicou que este tipo de convênio faz parte do Plano de Governo e foi possível graças ao empenho dos parceiros, entre eles a APAC e o Tribunal de Justiça, que estavam presentes na assinatura. “Estamos felizes em colocar em prática este convênio no sistema prisional do RN em conjuntos com outros órgãos que acreditam neste projeto”, comentou.

O titular da Seap/RN, Pedro Florêncio Filho revelou que o projeto inicial ficará restrito a APAC/Macau, entretanto, adiantou planos de implantação de parceria similar em Macaíba e São Gonçalo do Amarante. “Essa medida faz parte do Plano de Governo e eu sei que se tenta há mais de 9 anos e a partir de hoje poderemos colocar em prática. Não tenho dúvidas que a APAC será uma grande parceira. É uma unidade pequena, mas é importante iniciar para depois ampliar”, disse.

A presidente da APAC/Macau, Clara Mara Costa lembrou que ao longo de quase 10 anos foram várias tentativas de implentar uma parceria com o Governo do Estado, citando que existem voluntários, mas também há custos necessários na manutenção do trabalho de assistência. “Trata-se de uma batalha muito grande para a APAC. Sao quase 9 anos dessas caminhada e só agora tivemos esta oportunidade. É um missão de Deus essa colobaração”, classificou.

Participaram ainda da solenidade de assinatura do termo, o vice-governador Antenor Roberto, o presidente do TJRN, desembargador João Rebouças, o corregedor do TJRN, desembargador Amaury Sobrinho, o titular da Secretaria de Gestão e Projetos, Fernando Mineiro, os juizes Gutavo Marinho e Italo Lopes, das comarcas de Natal e Macau, respectivamente, além de representantes do DPC/Seap e APAC. 

 

APAC

A APAC é uma entidade civil de direito privado dedicada à recuperação e à reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade, com 47 anos de atuação em território nacional. A entidade tem objetivo de promover a humanização das prisões, sem perder de vista a finalidade punitiva da pena, com propósito de evitar a reincidência no crime e oferecer alternativas para o condenado se recuperar.

O Governo do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap/RN), assinou um termo de fomento com a Associação de Proteção e Assistências aos Condenados de Macau (APAC/Macau), nesta segunda-feira (2). Com apoio do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), o documento prevê a implantação de uma parceria entre as entidades na recuperação e assistência de internos do sistema prisional.

Com o termo, a APAC/Macau poderá atender 34 sentenciados pela Justiça, sendo 20 do regime fechado e 14 do semiaberto, no Centro de Reintegração Social (CRS/Macau). Será ofertado ao assistido a valorização e recuperação da dignidade humana, com ênfase nos aspectos morais e religiosos, com objetivo de auxiliar na recuperação.

A vigência do convênio será de 12 meses, podendo ser prorrogado se for de interesse das partes envolvidas, ao custo de R$ 292.980,80, repassados pela Seap mensalmente. Compete a Secretaria, por meio do Departamento de Promoção à Cidadania (DPC), a supervisão, fiscalização e acompanhamento da execução do convênio e dos recursos.

A governadora Fátima Bezerra explicou que este tipo de convênio faz parte do Plano de Governo e foi possível graças ao empenho dos parceiros, entre eles a APAC e o Tribunal de Justiça, que estavam presentes na assinatura. “Estamos felizes em colocar em prática este convênio no sistema prisional do RN em conjuntos com outros órgãos que acreditam neste projeto”, comentou.

O titular da Seap/RN, Pedro Florêncio Filho revelou que o projeto inicial ficará restrito a APAC/Macau, entretanto, adiantou planos de implantação de parceria similar em Macaíba e São Gonçalo do Amarante. “Essa medida faz parte do Plano de Governo e eu sei que se tenta há mais de 9 anos e a partir de hoje poderemos colocar em prática. Não tenho dúvidas que a APAC será uma grande parceira. É uma unidade pequena, mas é importante iniciar para depois ampliar”, disse.

A presidente da APAC/Macau, Clara Mara Costa lembrou que ao longo de quase 10 anos foram várias tentativas de implentar uma parceria com o Governo do Estado, citando que existem voluntários, mas também há custos necessários na manutenção do trabalho de assistência. “Trata-se de uma batalha muito grande para a APAC. Sao quase 9 anos dessas caminhada e só agora tivemos esta oportunidade. É um missão de Deus essa colobaração”, classificou.

Participaram ainda da solenidade de assinatura do termo, o vice-governador Antenor Roberto, o presidente do TJRN, desembargador João Rebouças, o corregedor do TJRN, desembargador Amaury Sobrinho, o titular da Secretaria de Gestão e Projetos, Fernando Mineiro, os juizes Gutavo Marinho e Italo Lopes, das comarcas de Natal e Macau, respectivamente, além de representantes do DPC/Seap e APAC.

 

APAC

A APAC é uma entidade civil de direito privado dedicada à recuperação e à reintegração social dos condenados a penas privativas de liberdade, com 47 anos de atuação em território nacional. A entidade tem objetivo de promover a humanização das prisões, sem perder de vista a finalidade punitiva da pena, com propósito de evitar a reincidência no crime e oferecer alternativas para o condenado se recuperar.

APAC de São João del-Rei realiza Semana da Família

Durante os dias 24 de agosto a 01 de setembro aconteceu a Semana da Família, envento promovido pela Comissão de Família juntamente com a Escola Estadual Detetive marco Antônio de Souza.

O evento teve como objetivo trazer o debate sobre a importância da família na vida do recuperando. Eles participaram das palestras “Situações que a família passa durante a vida” e “Como o dependente lida com a família e com a sociedade perante sua recuperação e vulnerabilidades”. Além disso, participaram, ainda, de oficinas para construir a “Árvore Genealógica” e a “Árvore dos Afetos”, além de outras atividades desenvolvidas pelos professores da escola.

A APAC acredita que a família é um grande suporte para os trabalhos de recuperação. Assim, busca-se criar ambientes familiares pautados no respeito, na união e no amor!

A família organizada como suporte!

Delegação de autoridades judiciárias de Goiás visita as APACs Frutal

Numa iniciativa do Tribunal de Justiça e Ministério Público de Goiás, no dia 23 de agosto, uma delegação composta por 20 autoridades do Poder Judiciário, Poder Legislativo e Ministério Público visitou as Associações de Proteção e Assistência aos Condenados de Frutal – APACs. Os convidados foram recepcionados por representantes da Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados – FBAC, da diretoria das instituições locais e do Poder Judiciário da Comarca. Nesse dia, houve também um Workshop com a exposição de artesanatos feitos pelos recuperandos e de livros de autoria do fundador do Método APAC, Dr. Mário Ottobboni e do Diretor-Executivo da FBAC, Valdeci Antônio Ferreira.

“Para nós é mais uma alegria receber novamente a Delegação de Goiás agora composta por juízes e promotores que saíram de suas Comarcas para verem de perto a realidade, o trabalho e a metodologia apaqueana que tem conquistado diversas autoridades tanto pelo índice de recuperação quanto pelo baixo custo que as APACs proporcionam hoje aos gestores estaduais”, disse a gerente administrativa das APACs, Paula Queiroz Vieira.

Para Valdeci Ferreira, que falou do histórico das APACs, perspectivas, a expansão das unidades e a realidade das Associações dentro e fora do país, é natural que o Método APAC, pela sua eficácia na aplicação e recuperação do indivíduo, desperte o interesse das autoridades que desejam implantar a experiência em suas Comarcas. O presidente da APAC, Natanael Silveira de Souza, também destacou a importância da visita da delegação: “É um orgulho para as APACs e para Frutal que despertou o interesse de outro estado, o que se vivenciou aqui é algo diferenciado”, destacou.

          Na opinião do Juiz de Direito da Comarca, Gustavo Moreira, é importante que as autoridades de Goiás busquem conhecimento sobre a metodologia apaqueana: “Um projeto que ressocializa, dissemina o amor e proporciona uma sociedade mais justa, solidária e pacificada”. Para o Diretor do Presídio Militar da Polícia Militar do Estado de Goiás, Tenente Coronel Onildo Ananias Junior, o que se vê na APAC é o cumprimento da Lei de Execução Penal que recupera o indivíduo de maneira digna.

          A Juíza de Direito de Vianópolis/GO, Marli de Fátima Naves, disse que ficou impressionada com a APAC Frutal e que se emocionou por diversas vezes: “O que eu vi aqui vem de encontro a projetos que trabalho e que acredito relacionados à recuperação humana”. Para o Juiz de Direito de Quirinópolis/GO, Felipe Barbosa, o que mais chamou a atenção é a ideia de disciplina vinculada a espiritualidade. “Depois do que presenciei, volto a ter crença na execução penal”.

O coordenador da área de políticas públicas e Direitos Humanos do Centro de Apoio do Ministério Público do Estado de Goiás, o Promotor de Justiça, André Luiz Ribeiro Duarte, destaca que após as visitas, a intenção é trabalhar a articulação com os poderes constituídos, sociedade civil organizada e a comunidade em geral para que as APACs comecem a ser implantadas em Goiás. O Promotor de Justiça de Caldas Novas/GO, Cristiano Caires, também elogiou o Método: “é revolucionário, de excelência, que precisa ser replicado no Brasil e Goiás não pode ficar de fora”, afirmou.

O Presidente da União dos Vereadores do Estado de Goiás (UVEGO), o vereador de Pamerí/GO, Ricardo de Oliveira, resumiu o que sentiu ao conhecer as APACs Frutal: “Não tenho palavras, a sensação é de que a gente vive num mundo que está além dos presídios de Goiás, estou emocionado”. Segundo o vereador, os recuperandos estão pagando a pena, mas ao mesmo tempo, mostraram às autoridades que podem ser pessoas melhores e voltarem ao convívio social. 

(Jornalista Zilma de Oliveira – Assessora de Imprensa APAC Frutal)

Other news

An angel interceding for us

23-02-2016

Valdeci I remember kindly our dear Glory. His unconditional love and his passion for the...

Read more

Outpatient care implementation in APAC of Caratinga

12-01-2016

Dr. Igor de Oliveira, respected doctor in our city of Caratinga for his humanitarian attitudes...

Read more

FBAC realises on-line meeting with Presidents of APACs

01-09-2015

It was realised in the night of this Monday (31/08/2015) the first meeting online between...

Read more

Partners

  • assmg.jpg
  • avsi.jpg
  • avsibrasil.jpg
  • FIAT.jpg
  • governoMA.jpg
  • governomg.jpg
  • melt.jpg
  • MinaspelaPaz.jpg
  • mpmg.jpg
  • Novos rumos.jpg
  • projetec.jpg
  • seapmg.jpg
  • senac.jpg
  • sociedadebiblicadobrasil.JPG
  • tioflavio.jpg
  • tjma.jpg
  • UE.jpg