Completam-se 37 anos do martírio de Franz de Castro

Hoje completam-se 37 anos do martírio de Franz de Castro. Franz viveu e morreu por um ideal: ajudar quem estava nas prisões a encontrar sentido para suas vidas. Convidamos todas APACs, recuperandos e recuperandas, funcionários, voluntários e simpatizantes a renovar seu compromisso com a causa das APACs e sua esperança de que vale a pena apostar no ser humano. Façamos juntos esta oração. Abaixo leia o relato completo de seu martírio.

Sábado, 14 de fevereiro de 1981, por volta das 13 horas, o Dr. João Crysóstomo de Oliveira Campos, á época Delegado de Polícia de São José dos Campos, telefonou para a residência de Dr. Mário Ottoboni, e, visivelmente emocionado fez um dramático apelo para que ele fosse em companhia do Dr. Franz de Castro, à Delegacia de Policia de Jacareí onde uma rebelião de presos, preocupava a todos pois mantinham dois policiais civis e um militar sob a mira de revolver, ameaçando matá-los se não houvesse cooperação das autoridades para o êxito da fuga que pretendiam.

Na oportunidade, no destacamento do Corpo de Bombeiros de Jacareí, encontrava-se o Juiz de Direito daquela cidade, Orlando Pistorezzi, que coordenava o trabalho de libertação dos reféns.

Com a chegada de Franz de Castro Holzwarth e Mário Ottoboni, ambos dispostos a mediar os acontecimentos, para um término feliz, o Dr. Juiz de Direito citado, após manter o encontro reservado com os dois cidadãos mencionados, fez ligação telefônica com a Delegacia de Policia e anunciou ao preso líder da rebelião, que a exigência dos rebelados seria atendida, pois já contava com a presença de Franz e Mário, para que em duas turmas os presos deixassem ileso o local.

Nesse momento, o então Prefeito de Jacareí, Sr. Benedito Sérgio Lecione, cedeu o carro oficial da Prefeitura para que fosse levado a efeito o primeiro transporte. Antes, porém, as autoridades presentes deram garantia que a saída dos presos e reféns dar-se-ia de forma tranqüila, sem qualquer molestação e hostilidade.

A primeira turma deixou o local em companhia do Sr. Mário Ottoboni, que dirigia o veículo e dois reféns civis. A empreitada foi bem sucedida com o retorno ao local da rebelião de Mário Ottoboni e dos dois reféns.

Permanecia, entretanto, no local o Dr. Franz de Castro Holzwarth, um policial militar, último refém e mais alguns presos.

Como a situação se agravava com risco eminente de trágico desfecho, e como ninguém, se dispunha a levar o segundo veículo onde estava Franz de Castro, Mário Ottoboni, embora com sério risco de vida, prontificou-se a levar um carro modelo Belina, mas a Polícia Militar, naquele momento exigia, que o último refém fosse liberado no local dos acontecimentos, e que o advogado Franz de Castro o substituísse, passando a figurar de mediador a refém.

Como o advogado não era motorista, um dos presos amotinados assumiu o encargo de dirigir o veículo. Entregaram, então, a Mário Ottoboni, o policial militar refém para que a operação se realizasse normalmente.Ottoboni entregou a chave da Belina ao preso e deixou a linha de fogo com o último refém.

Quando isto aconteceu, o preso motorista ao contornar o veículo, para dirigi-lo, foi executado com vários tiros, embora se apresentasse com as mãos para o alto, simbolizando paz.

Neste momento Franz e os outros presos já estavam dentro do carro. De repente, um inexplicável e intenso tiroteio dominou o ambiente, que resultou na morte de Franz de Castro Holzwarth, que fora atingindo por mais de trinta projéteis.Belina XI 7752, depois do tiroteio.

Todos os demais ocupantes da Belina, seis presidiários morreram no local. Assim consumou-se a tragédia que transformou o companheiro de ideal cristão, em mártir.

Franz de Castro vitimado no tiroteio de Jacareí.Franz de Castro vitimado no tiroteio de Jacareí.

Pai de Franz de Castro sai amparado do local do tiroteioPai de Franz de Castro sai amparado do local do tiroteio

Na época, o Bispo da Diocese de São José dos Campos, hoje Cardeal Dom Eusébio Oscar Scheid, Arcebispo emérito do Rio de Janeiro, assim se manifestou sobre o episódio: “Recordar a figura e as atitudes de nosso amigo mártir, suscita em nós todos, o desejo de seguir-lhe os passos no campo da difícil pastoral carcerária. Ele, que deu a vida em prova do amor maior (cf. Jo 15, 13), nos encoraje, ilumine e nos fortaleza neste propósito!”

Até agora ninguém sabe quais foram as causas da rebelião. A cadeia pública de Jacareí estava com 69 presos, mas só comportaria 50, no máximo. Mas as autoridades acham que não foi essa a causa. Inclusive o delegado Juzrez dizia à imprensa que “eles tinha tudo aí dentro. Não sei porque se rebelaram”.

APAC Manhuaçu homenageia parceiros voluntários

Durante ato socializador, realizado na manhã desta sexta-feira (2), a Associação de Proteção e Assistência ao Condenado (APAC) de Manhuaçu prestou homenagens ao Grupo de Oração “Coração Adorador” e ao Corpo de Bombeiros. Ambas as instituições são parceiras e foram reconhecidas pelos relevantes serviços prestados ao método apaqueano de ressocialização dos reeducandos.

De acordo com a presidente da APAC, Denise Rodrigues de Oliveira, os recuperandos são acompanhados durante todo o mês e trabalham dentro da unidade apaqueana acumulando pontos. São metas que eles precisam alcançar e que servem de incentivo para que busquem melhorias e cumprimento de regras.

“Desde quando acordam, até o momento em que vão dormir, passando pela limpeza do estabelecimento, uso do crachá, arrumar a cama, enfim, tudo do dia a dia tem pontuação. Eles cumprem regras e marcam pontos por isso. Tudo isso é avaliado ao final do mês”, explicou Denise.

Dentro do ato socializador, que um momento de reconhecimento das atividades realizadas durante o mês, um voluntário, que ajuda na recuperação dos reeducandos, é convidado para ser homenageado. “O nosso trabalho não seria possível se não fosse a ajuda de uma verdadeira força-tarefa, que vem dos nossos parceiros voluntários. O voluntariado é a base, a espinha dorsal do método apaqueano”, analisou a presidente da APAC.

O Grupo de Oração “Coração Adorador” presta serviço espiritual voluntário desde a primeira semana de funcionamento da APAC. Já o Corpo de Bombeiros é um grande parceiro ao abrir as portas da unidade militar para receber recuperando na prestação de serviços internos.

HOMENAGENS E PARCERIAS

Representando o Grupo de Oração “Coração Adorador”, o membro Ítalo Martins, explicou que a parceria é realizada toda segunda-feira e tem dado muitos resultados positivos para os recuperando.

“Primeiramente, quero agradecer à APAC por esta homenagem. O nosso trabalho é gratificante, pois ao levarmos a palavra de Deus para os reeducandos, queremos dizer a eles que os erros do passado ficaram lá fora. Não estamos aqui pelo pecado, mas sim pelo pecador. Queremos que eles sejam recuperados da melhor maneira e voltam à sociedade como pessoas realmente melhores”, comentou Ítalo.

O Corpo de Bombeiros foi representado pelo comandante, tenente Flávio. Ele agradeceu à homenagem e reiterou que a unidade militar está de portas abertas para receber os recuperandos da APAC.

“A cada três dias trabalhados, é reduzido um na pena do reeducando. Precisamos de mão de obra e muitos deles conhecem dos ofícios que precisamos. Por isso, um ajuda o outro. Somos muito gratos pela homenagem e estamos aqui para contribuir com a recuperação deles da melhor maneira possível”, concluiu tenente Flávio.

Fonte: Portal Caparaó

Cardeal do Rio de Janeiro visita APAC de Itaúna

No dia 31 de janeiro a APAC de Itaúna recebeu a visita do Cardeal do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta. Dom Orani está à frente da Arquidiocese do Rio de Janeiro desde 2009. Dom Orani foi acolhido pelo juiz da Comarca de Itaúna, Dr. Paulo de Carvalho, pelo Diretor Executivo da FBAC, Valdeci Antônio Ferreira, pelos funcionários, recuperandos e voluntários da APAC.

Dom Orani expressou que ficou impressionado com a APAC de Itaúna e que está muito interessado em implementar a metodologia APAC no Rio de Janeiro. Em 2017 a FBAC já esteve em Petrópolis fazendo seminários e encontros, onde já existe um movimento para criação da APAC. A FBAC acredita que o encontro de Dom Orani com este grupo poderá contribuir muito para que a APAC torne-se realidadeno RJ. Por fim, a FBAC muito se alegrou com sua visita e se coloca à disposição para contribuir na implementação da APAC em seu Estado. Estamos juntos!

 

APAC de Pirapora realiza encontro para familiares

No dia 28/01/2018 aconteceu, na APAC de Pirapora, a I reunião com os familiares dos recuperandos. Contamos com a participação de 69 (sessenta e nove) famílias no regime fechado e 15 (quinze) famílias do regime semiaberto, onde puderam participar e tiraram suas dúvidas referentes aos assuntos abordados.

Contamos com a colaboração do encarregado administrativo - Evaldo dos Reis Macedo, do encarregado de segurança - Gilmar Bento Dias e da Assistente social - Maria Arlete Pereira dos Santos.

Foram abordados diversos assuntos, entre eles: uso do crachá, vestimentas e também, informamos sobre a realização da II JORNADA DE LIBERTAÇÃO COM CRISTO que acontecerá de 05 a 08/04/ 2018, cujo objetivo é incentivar no recuperando na adoção de uma nova filosofia de vida.

O acompanhamento da família está agregado ao Método APAC, que nos permite chegar a nossa grande meta, que é "MATAR O CRIMINOSO, SALVAR O HOMEM". Somente tendo as famílias como parceiras alcançaremos tal propósito.

APAC de Sete Lagoas realiza parceria com EPAMIG para produção de peixes

Em parceria com o Poder Judiciário de Minas Gerais – Comarca de Sete Lagoas e a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC), EPAMIG implanta Centro de Referência em Ressocialização, Extensão e Pesquisa e Aquicultura Intensiva e Integrada (Crepai), em Sete Lagoas.

(Belo Horizonte – 26/01/2018) Uma importante parceria entre a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), o Poder Judiciário de Minas Gerais – Comarca de Sete Lagoas e a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (APAC) de Sete Lagoas, resultou na elaboração e construção do Centro de Referência em Ressocialização, Extensão e Pesquisa e Aquicultura Intensiva e Integrada (Crepai), que está em fase de implantação e deve entrar em funcionamento no mês de fevereiro.

O Crepai consiste na implantação de módulo produtivo baseado no sistema de recirculação de água, no qual há o tratamento e reutilização da água de forma contínua.   No Centro, foram instalados sete tanques suspensos de cultivo recria, uma estação de tratamento de efluente (ETAqua) e uma estação de separação de lôdo. Os materiais sólidos e parte dos efluentes resultantes do tratamento da água destinam-se para o uso na compostagem (adubo sólido para plantas) e fertirrigação de culturas agrícolas de valor comercial e para uso dos próprios recuperandos, como no caso das plantas medicinais e ervas aromáticas. A dinâmica de operação otimizada, possibilitará o reaproveitamento da água de cultivo e seu retorno aos tanques com peixes. O local terá capacidade de produção média de 200 kg de tilápia por mês.

De acordo com o pesquisador da EPAMIG e coordenador do projeto, Giovanni Resende de Oliveira, no sistema de recirculação a produtividade pode ser até 40 vezes maior do que em um sistema de viveiro escavado na modalidade semi-intensiva com baixa renovação de água e sem uso de aeradores. “A expectativa é que no primeiro mês do funcionamento, o projeto comece a operar um tanque de recria. A partir daí, mês a mês, os demais tanques destinados para as fases de crescimento e engorda serão abastecidos com os juvenis” explica.

O Centro de Referência em Ressocialização, Extensão e Pesquisa e Aquicultura Intensiva e Integrada, conta com uma área total de 250m². Nesta primeira etapa, 3 recuperandos atuarão nas estações, sendo 2 na rotina diária e 1 como substituto em fins de semana, folgas ou saídas programadas. “A ideia é que em até sete meses após a implantação todos os tanques de cultivo estejam povoados com lotes de peixes de diferentes fases (pesos médios). Ao final do sétimo mês, deve acontecer a primeira despesca”, completa Giovanni.

De acordo com a APAC, inicialmente, os peixes produzidos serão destinados a alimentação dos recuperandos, mas, após ampliação, há possibilidade de repasse da produção para a merenda escolar municipal.

Capacitação técnica

O Crepai será um espaço para capacitação tanto dos recuperandos, quanto para produtores, técnicos e interessados em conhecer e possivelmente implantar o sistema de criação de peixes.

Segundo a APAC, após a capacitação e aprimoramento das técnicas de cultivo, existe a possibilidade de tornar a atividade comercial, o que pode gerar renda para os recuperandos e suas famílias, além da possível implantação do Crepai em outras APAC’s.

Fonte: EPAMIG

Otras noticias

Un angel que intercede por nosotros

23-02-2016

Me acuerdo con cariño de nuestra querida Glória. Su amor incondicional y su passión por...

Lea Más

Implantación de servicio ambulatoria en APAC de Caratinga

12-01-2016

Dr. Igor de Oliveira, respetado médico en nuestra ciudad de Caratinga por sus actitudes humanitarias...

Lea Más

APAC de Teófilo Otoni hace el lanzamiento del Programa El Viaje del Prisionero

02-09-2015

El último sábado, día 29 de agosto, la APAC de Teófilo Otoni divulgó el Programa...

Lea Más

CD con Himnos de la APAC ya se encuentra a la venta

01-09-2015

Ya está disponible, al precio de R$ 15,00, para venta el CD con los Himnos...

Lea Más

FBAC realiza reunião online com Presidentes de APACs

01-09-2015

Fue realizado en la noche de este lunes (31/08/2015) la primera reunión onlie entre la...

Lea Más

Socios

  • assmg.jpg
  • avsi.jpg
  • avsibrasil.jpg
  • FIAT.jpg
  • governoMA.jpg
  • governomg.jpg
  • melt.jpg
  • MinaspelaPaz.jpg
  • mpmg.jpg
  • Novos rumos.jpg
  • projetec.jpg
  • senac.jpg
  • sociedadebiblicadobrasil.JPG
  • tioflavio.jpg
  • tjma.jpg
  • UE.jpg