Curso de Formação de Voluntários 2011, Processo de Beatificação de Franz de Castro e Convocatória Mundial

Temos afirmado incansavelmente que é indispensável não improvisar, evitar imediatismo, e a ambição de se promover através da APAC. E por que insistimos o tempo todo a respeito da necessidade de repudiar os oportunistas?


A APAC é uma obra de Deus e, como tal, merece ser respeitada. Quando improvisamos, corremos o risco iminente de fracassos e desacertos, e os desavisados acabam acusando o Método como ineficaz. Para matar o criminoso e salvar o homem, proposta apaqueana, o voluntário deve, no mínimo, estar em tudo, melhor preparado do que o preso, afinal, uma APAC forte depende da preparação dos seus voluntários.


Vemos, portanto, que é imprudente começar uma APAC sem que haja a preparação adequada dos voluntários, através do curso de formação, que representa importante e indispensável passo daqueles que encaram com seriedade a missão de recuperar o ser humano que errou e deseja voltar ao nosso convívio.


O curso de formação de voluntários completo é composto de 21 aulas. Para os encontros, será necessário contar com a cooperação de monitores extras tais como: Promotores de Justiça, Advogados, Psicólogos, Médicos, Sacerdotes, etc., para que façam a exposição de determinados assuntos considerados técnicos. O voluntário não pode ser empurrado para tratar com os presos, sem conhecimento da maneira pela qual deva se conduzir. As coisas só tem significado quando as conhecemos.


Outra preocupação que necessariamente deva ser constante, é o planejamento. Precisamos aprender a planejar. Os improvisadores caminham sempre para o fracasso. Planejar para realizar deve ser a nossa preocupação. A APAC não se cria por decreto, mas pela soma de cristãos idealistas e responsáveis.
Somando esforços, venceremos todas as barreiras, falaremos a mesma linguagem e atingiremos os mesmos objetivos. Aos que se opõe à nossa luta, saibamos oferecer, como resposta, a nossa determinação e perseverança.


Vamos dizer sempre: quanto mais penalizamos o preso, mais será penalizada a sociedade. Diminuir a reincidência implica em proteção a todos, inclusive aos céticos que não enxergam além dos próprios pés. O preso perde a liberdade, conservando, porém, a dignidade. Os voluntários da APAC realizam a obra do coração de Deus.


Diante destas considerações, a FBAC orienta que todas as APACs realizem o Curso de Formação de Voluntários do Método APAC. Para tanto, estamos disponibilizando todo o material necessário para o planejamento e execução do curso (agenda, cartaz de divulgação, modelo de faixas, manual do monitor, etc).
A FBAC propõe ainda, que todas as APACs cumpram rigorosamente a agenda, sobretudo, respeitando a data de início e término do curso, de modo que todas as unidades iniciem e terminem o curso ao mesmo tempo, o que certamente contribuiria sobremaneira para a unidade do nosso movimento.

 

Clique aqui para baixar todo o material para o curso.

 

No dia 22/12/2010 às 15:00hs, no Instituto de Filosofia Santa Terezinha - Diocese de São José dos Campos, Av. São João, 2650, Jardim das Colinas, São José dos Campos/SP, estaremos realizando o ato de encerramento dos trabalhos da primeira etapa do processo de beatificação e canonização do nosso Mártir Franz de Castro Holzwarth.


Para este momento, gostaríamos de contar com uma caravana de cada uma de nossas APACs, portando faixas e cartazes de maneira a demonstrar a nossa alegria e grande satisfação, na esperança de vermos em breve o Mártir Franz de Castro Holzwarth, ser alçado aos altares como protetor dos presos do mundo inteiro, e por conseguinte, das APACs.

Finalizando, também já se encontra no portal da FBAC, o formulário de inscrição para as pessoas que desejarem inscrever-se para participarem da Convocatória da Prison Fellowship International, a realizar-se em julho de 2011, em Toronto no Canadá.

 

Clique aqui para maiores informações.

 

 

 

 

Recomendações às APACs para a Jornada de Libertação com Cristo

Faltam poucos dias para o início da 5ª Jornada de Libertação com Cristo a ser realizada na APAC de Santa Luzia de 29 de julho a 1º de agosto. Certamente que este é um momento privilegiado para o nosso movimento, sobretudo porque além da oportunidade de crescimento espiritual e de mudança radical de vida, permite aos recuperandos das diversas APACs que funcionam sem polícia se interagirem entre si, partilhando suas experiências de vida.


Importantíssimo escolher bem os recuperandos que serão indicados, pois eles poderão posteriormente colaborar com seu testemunho e liderança na consolidação de suas APACs. De igual importância é a seleção dos dirigentes que irão acompanhar os recuperandos, pois estes, além de serem os responsáveis pela segurança durante a viagem, deverão colher o máximo possível de informações acerca do formato e conteúdo da Jornada, para depois a realizarem em suas Comarcas.


Não se esqueçam de que um evento desta natureza requer um grande planejamento e organização, sobretudo no que tange aos aspectos de alojamento, alimentação, mensagens, etc., razão pela qual não serão aceitas inscrições de última hora. Da mesma forma não podemos nos esquecer de que as orações e sacrifícios, serão as alavancas necessárias para o êxito da Jornada.

 

Estamos Juntos!

 

Valdeci Antônio Ferreira

Diretor Executivo da Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados

 



NOVOS TEMPOS, NOVOS INSTRUMENTOS

Aos irmãos (as) de apostolado,

O crescimento das APAC's em Minas - 25 funcionando sem polícia e várias outras com data prevista para inauguração (Januária, Pirapora, Pouso Alegre-regime fechado, Frutal e outras) - e a expansão do Método para outros Estados (Maranhão, Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Mato Grosso, etc.), nos coloca um desafio: Como manter a comunicação entre as APACs, FBAC, Parceiros e Autoridades, objetivando manter a unidade de propósitos e a chama do entusiasmo na recuperação do preso, e uma escorreita aplicação da metodologia?

Leer más: NOVOS TEMPOS, NOVOS INSTRUMENTOS

Editorial APACs em Notícias 5

“Uma contribuição importante para a superação dos problemas relacionados à realidade carcerária é a experiências da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados, a APAC. No ano de 1972, através de estudos e experiências aos condenados, um grupo de pessoas voluntárias,   lideradas por Mário Ottoboni, em São José dos Campos/SP instituiu um método revolucionário e eficiente no modo de execução de pena que hoje, decorridos mais de 30 anos, tornou-se conhecido e adotado em vários Estados do Brasil e em diversos países do mundo. É o Método APAC, que trouxe ao condenado, condições para recuperar-se e ressocializar-se. Este método tornou realidade aquilo que parecia ser impossível de alcançar. Divulgá-lo e implantá-lo onde ainda não é conhecido, e fortalecer as unidades já existentes hão de ser iniciativas muito concretas na busca de um novo Sistema Penal” . Texto Base da Campanha da Fraternidade da CNBB, 2009, Parágrafo 274, Pág. 105 e 106.


Desde os seus primórdios a APAC sempre buscou alcançar uma de suas metas principais qual seja, a proteção da sociedade. Neste sentido, sempre que um criminoso é recuperado e devidamente preparado para retornar a sociedade, previne-se a vitimização e, por conseguinte a sociedade. Por esta razão é que sempre afirmamos que aqueles que são contrários à proposta da APAC ou desconhecem o Método ou são favoráveis ao crime e a violência.

Destaca-se neste informativo o esforço das APAC`s na busca de aperfeiçoamento e aprimoramento do Método e a belíssima entrevista do Secretário Geral da CNBB, Dom Dimas Lara Barbosa discorrendo sobre o tema da Campanha da Fraternidade: “Fraternidade e Segurança Pública”, cujo lema é “A Paz é fruto da Justiça”.

Estamos Juntos!

Valdeci Antonio Ferreira
Presidente Executivo da FBAC.

Socios

  • assmg.jpg
  • avsi.jpg
  • avsibrasil.jpg
  • FIAT.jpg
  • governoMA.jpg
  • governomg.jpg
  • melt.jpg
  • MinaspelaPaz.jpg
  • mpmg.jpg
  • Novos rumos.jpg
  • projetec.jpg
  • seapmg.jpg
  • senac.jpg
  • sociedadebiblicadobrasil.JPG
  • tioflavio.jpg
  • tjma.jpg
  • UE.jpg