APAC EM MINAS GERAIS RECEBE VISITA DE EMBAIXADOR ITALIANO

Na ocasião, foi apresentada a aplicação da metodologia apaquiana e também rotina dos recuperandos

“Foi uma visita emocionante e acolhedora”, relata o embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini. No mês de março, a APAC situada em Nova Lima, município de Minas Gerais, recebeu a visita do embaixador acompanhado de sua esposa, Ornella Bernardini, do Ministro Conselheiro, Fillipo La Rosa, e da consulesa, Aurora Russi. Na ocasião, os convidados foram apresentados à aplicação da metodologia apaquiana e também a rotina dos recuperandos.

Inicialmente, os visitantes conheceram o regime semiaberto (com saída autorizada para o trabalho), em seguida, o regime fechado. Em cada um, os recuperandos falaram sobre seu dia a dia. Além disso, as unidades produtivas de padaria e horta, além do processo da laborterapia, importante elemento de recuperação dos encarcerados, também foram apresentadas.

Durante a passagem pelo regime fechado, um recuperando compartilhou seu depoimento. Ele já havia cumprido pena, mas voltou para a APAC após ser preso por um crime cometido anteriormente. O rapaz contou que aos 11 anos começou a usar crack, foi preso aos 20 anos e dentro da APAC teve a chance de se recuperar da dependência química. O Recuperando afirmou que a APAC proporciona uma chance de melhoria na qualidade de vida longe do mundo do crime.

Esta foi a primeira visita do embaixador Antonio Bernardini a uma APAC. “Meus amigos falavam das APACs e da inovação proposta pelo método. No entanto, nunca havia visitado uma unidade antes e estava curioso para entender como funcionava. Foi uma experiência emocionante”, afirma o embaixador.

Segundo Fabrizio Pellicelli, diretor presidente da AVSI Brasil, as APACs representam a essência da AVSI no que diz respeito à condição humana. A visita foi coordenada por Fabrizio e pelo diretor vice-presidente, Jacopo Sabatiello, juntamente com Maurílio Pedrosa, do Instituto Minas pela Paz, Eleni Andrade, da FBAC e o presidente da APAC, Ricardo Lopes da Silva.

A AVSI Brasil consolidou sua parceria com as APACs há oito anos e atualmente desenvolve o projeto “Superando Fronteiras” que contribui para a expansão da metodologia para os estados do Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Paraná e Rondônia. O projeto é financiado pela União Europeia, através do Instrumento Europeu para Promoção da Democracia e dos Direitos Humanos (IEDDH).

A metodologia da APAC surgiu como meio de promoção dos direitos humanos da população carcerária, contrapondo-se ao sistema prisional comum. Os parceiros do projeto têm papel fundamental na difusão do método, contribuindo para expansão em território nacional da experiência e efetivação das APACs como política pública.

A APAC de Nova Lima foi criada no ano de 2003. A capacidade atual do local é de 86 recuperandos. No total, hoje, 39 destes recuperandos estão no regime fechado, 26 no semiaberto e 17 no aberto (com saída autorizada para trabalhar).

Fonte: Fundação AVSI

 

Parceiros

  • assmg.jpg
  • avsi.jpg
  • avsibrasil.jpg
  • FIAT.jpg
  • governoMA.jpg
  • governomg.jpg
  • melt.jpg
  • MinaspelaPaz.jpg
  • mpmg.jpg
  • Novos rumos.jpg
  • projetec.jpg
  • senac.jpg
  • sociedadebiblicadobrasil.JPG
  • tioflavio.jpg
  • tjma.jpg
  • UE.jpg