HOMENAGEM AO DESEMBARGADOR JOAQUIM ALVES DE ANDRADE

No dia 14 de agosto de 2019, faleceu o Desembargador Joaquim Alves de Andrade. Homem sábio, conhecedor do coração humano, não mediu esforços para ajudar a todos que estavam à sua volta. 

Foi no ano de 2001 que o Des. Joaquim Alves visitou a APAC de Itaúna, juntamente com os demais desembargadores das câmaras criminais. A princípio não acreditou ser verdade o que estava vendo e pensou: “Estão mascarando a realidade.” Dias depois, o Des. Joaquim Alves dirigiu seu carro, bem cedo, de Belo Horizonte até a APAC de Itaúna. Seu objetivo: “Averiguar se era verdade tudo que havia visto dias anteriores.” Acolhido na portaria pelos recuperandos, despois de adentrar na instituição, ele não teve dúvida de que este era o caminho para oferecer condições de recuperação para os condenados da justiça.  

O presidente do Tribunal de Justiça decidiu criar um órgão, no âmbito do TJMG, o Projeto Novos Rumos na Execução Penal, indicando o Des. Joaquim para a coordenação do mesmo: “Na época, eu estava recentemente aposentado e pretendia cuidar de outras coisas, mas o Des. Guedsteu me convidou e eu aceitei. Formamos então uma equipe, eu, Dr . Paulo Antonio de Carvalho, de Itaúna, Juarez de Azevedo Morais, de Nova Lima e Dr . Sérgio Resende para tal empreendimento. O processo de implantação do projeto foi aprovado por unanimidade pela corte de Justiça meses depois. Desde então o TJMG tem como política pública de execução penal, o Método APAC, além de auxiliar a divulgação das ideias contidas no plano, passando a intermediar o entendimento entre o Poder Judiciário, Poder Executivo, as APAC`s e finalmente à Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (FBAC).” 

Em 2004 o Projeto passou a se denominar “Programa Novos Rumos”, através da resolução nº 433-2004. O Des. Joaquim Alves de Andrade acreditou profundamente na pessoa humana privada de liberdade e percebeu que a APAC era um caminho de recuperação, que poderia ser oferecido para aqueles que desejassem uma possibilidade de mudança de vida. Neste sentido, não mediu esforços, viajando todo o Estado de Minas Gerais. Visitou várias entidades, participou de Jornadas de Libertação com Cristo, incentivou o aumento das APACs e contribuiu decisivamente para a consolidação das APACs em Minas Gerais e para a expansão para outros Estados. 

“Não faço nada demais, apenas o que um voluntário faz. A essência do cristianismo é a fraternidade. O maior incentivo que tenho é que sei que somos todos irmãos. O maior estímulo que o cristão tem é de praticar o cristianismo, que em última análise é a fraternidade. A APAC tem como finalidade principal, levar a Paz e a Fraternidade para o interior dos presídios, transformando criminosos em cidadãos.” Disse o Des. Joaquim Alves.

Valdeci Antônio Ferreira, Diretor Executivo da FBAC, expressa o sentimento de todos os apaqueanos: “Tenhamos um coração agradecido. Deus está aumentando o nosso exército no céu, para que, pela intercessão destes apóstolos, renovemos nossas forças para as batalhas na terra. A missão está apenas começando. Estamos juntos!!!”

A FBAC, todas as APACs, voluntários, recuperandos, funcionários e parceiros desejam que o Des. Joaquim Alves de Andrade receba o prêmio da Vida Eterna junto de Deus, Mário Ottoboni, Franz de Castro e todos que não cessaram de servir aos irmãos que mais necessitavam. Que o Pai console os corações de seus familiares: sua esposa Dulcina e seus filhos, Cláudio e Cristiana e que o testemunho de amor e doação do Des. Joaquim Alves de Andrade inspire a cada um de nós, a continuar acreditando na pessoa humana e a não medir esforços para que as APACs sejam espaços de recuperação e celeiros de cidadãos comprometidos com a paz.

 

BIOGRAFIA


Filho de Joaquim Alves de Andrade e Julieta Cordeiro de Andrade, Des. Joaquim Alves de Andrade nasceu em Abaeté/MG. Foi Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da UFMG, em 1956 e Doutorado em Direito Penal, na Faculdade de Direito da Universidade Federal de MInas Gerais, em 1958. Recebeu várias medalhas, entre elas: Alferes Tiradentes (1989); Ordem do Mérito Legislativo, Méritio Especial (1992); Santos Dumont, Grau Prata (1987); Santos Dumont, Grau Ouro (1992); Grande Medalha da Inconfidência, Méritos Cívicos (1988); Grande Medalha da Inconfidência, Méritos Excepcionais (1992).

 

Parceiros

  • assmg.jpg
  • avsi.jpg
  • avsibrasil.jpg
  • FIAT.jpg
  • governoMA.jpg
  • governomg.jpg
  • melt.jpg
  • MinaspelaPaz.jpg
  • mpmg.jpg
  • Novos rumos.jpg
  • projetec.jpg
  • seapmg.jpg
  • senac.jpg
  • sociedadebiblicadobrasil.JPG
  • tioflavio.jpg
  • tjma.jpg
  • UE.jpg